EDE Bahia!

O primeiro EDE da Bahia aconteceu entre abril e junho de 2012, na “Costa do Cacau”, próximo à beira-mar de Itacaré, no Centro Holístico Pedra do Sabiá que está inserido em uma área abundante, bela e previlegiada pela natureza.

Uma característica marcante do nosso curso foi a riqueza cultural e diversidade dos participantes, cinco dos quais eram nativos afro-descendentes, dois ligados a um “quilombo” (comunidade descendentes de escravos) vizinho. E outros de diversos estados brasileiros como Pará, São Paulo e Rio de janeiro, dois argentinos e também representantes da América do Norte e Europa.

Alguns dos participantes vieram através de um dos nossos parceiros, Mecenas da Vida, uma ONG atuante na neutralização de carbono que apoia os agricultores locais com uma forte visão para a transformação ecológica e social da região, e que retribuiu as bolsas recebidas com o fornecimento de alimentos orgânicos cultivados localmente que foram usados para as refeições do curso.

O primeiro módulo consentrou-se em Visão Mundial e Ecologia, e teve foco no design de ecovilas. Uma das características mais interessantes e dentre as razões principais para a escolha do local do curso foi que os participantes tiveram a chance de projetar o desing para duas comunidades intensionais emergentes nas redondezas: uma no próprio lugar onde estávamos hospedados e outra na Aldeia, onde se chegava com uma curta viagem de barco atravessando o rio. Ambas representaram uma folha em branco para ser desenhada e explorada com as ferramentas e habilidades  adquiridas durante o curso. Isso foi extremamente excitante tanto para os participantes quanto para os moradores das comunidades.

Os grupos tiveram a oportunidade de apresentar seus projetos às comunidades interessadas​​, obter um feed-back direto e ainda ter um burburinho extra de saber que seus projetos poderiam ser utilizados no desenvolvimento dessas ecovilas.

Neste módulo também trouxemos a Permacultura, e integramos um PDC como parte do currículo.

Um dos bônus da primeira edição do EDE Sul da Bahia, foi a localização privilegiada do curso. Como estávamos abençoadamente localizados no meio de uma área ambientalmente preservada e cercada por mata atlântica exuberante, os participantes tiveram a oportunidade de vivenciar esse contato direto com passeios à cachoeira e lago próximos, cerimônias nas antigas Jaqueiras, passeios de canoa para atravessar o rio e ir até a comunidade ‘Aldeia‘ fazer aulas práticas.

O segundo módulo, Co-Criando uma Nova Cultura, centrou-se em torno das dimensões sócio-econômicas, e focou a comunicação consciente e o crescimento interior / observação. Com isso exploramos algumas ferramentas práticas de transformação de conflitos, enquanto mergulhávamos mais profundo, utilizando questões que eram “vivas” e refletiam as dinâmicas inter-pessoais do próprio grupo. Tivemos partilhas particularmente poderosas e muitas curas durante o Fórum, Círculos de Homens e Mulheres / fishbowl, Oponopono, e lindas sessões de feed-back. Isto, junto com a criatividade da dança, e os momentos de cerimonia em volta do fogo, teceu uma conexão especial de intimidade e divinidade entre nós.

Um dos destaque do curso foi uma das noites em que fomos a um ‘Sarau’ em uma comunidade próxima, onde o artesanato produzido localmente fundiu-se com shows de talentos, música e dança, e fomos capazes de explorar questões relacionadas com o bio-regionalismo e economia solidária.

Outro momento especial foi o nosso fim-de-curso, especialmente Co-Criado. Uma festa de São João! Uma das mais calorosas festas tradicionais brasileiras. Os participantes formaram equipes e ajudaram no desenvolvimento das tarefas: alimentação; decoração; à noite, uma dança coreografada com uma cena de teatro, como é tradicão nessa festa. Foi uma explosão! Fomos surpreendidos pelo nível de comprometimento, criatividade e cooperatividade das equipes em ação.

Aprendizados para os futuros EDES?

Sim. Uma delas é que precisamos ser mais disciplinado e não abrir 100% aos participantes as coisas que realmente queriamos fazer, mas sentimos que tinhamos que deixar de fora ou fazer em um momento mais tarde … pois, isso aparentemente deixou-os sentir como se estivessem perdendo momentos ainda mais especiais. Outra é, talvez, oferecer mais espaços/tempo livres, possibilitando mais reflexão e assimilação dos conteúdos.

Durante o curso fomos presenteados com a participação de Índios da Nação Tupinambá, que realizaram a cerimonia de abertura, a Bênção da Terra, para abrir os caminhos, a conecção e gratidão com aquele sagrado espaço. E também um show de dança afro com uma ONG local,Casa do Boneco, que ajuda jovens afro-brasileiros a encontrar sua identidade através da arte e cultura. Durante o curso tivemos como participante uma das jovens da ONG.

No espírito de continuar a integração dos nossos futuros cursos com  comunidades emergentes, reconhecendo esta como uma relação mútua simbiótica, o próximo EDE, previsto para janeiro e março de 2013, será parcialmente realizado no Quilombo d’Oiti, sede da Casa do Boneco, onde a ONG está trabalhando para desenvolver e enraizar sua própria comunidade afro-brasileira.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s